(…) a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos” (Tiago 5:16).
A oração é a maior declaração de fé do homem para DEUS. Também é o canal de comunicação pelo qual o homem conversa com o seu Criador. Quem ora é porque acredita que o SENHOR é todo poderoso para fazer qualquer coisa que esteja no centro da Sua vontade. O apóstolo João certa vez nos declarou: “E esta é a confiança que temos nEle, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a Sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que Lhe fizemos” (1 João 5:14-15).
Quando direcionamos a nossa oração intercessória em favor de alguém, declaramos algumas coisas muito importantes: 1) que amamos essa pessoa com o mesmo amor com que CRISTO nos amou primeiro; 2) que a vida dela, por mais errada que esteja, tem solução; por isso não desistimos; 3) que lançamos o antídoto, repreendendo todo o mal e profetizamos a liberdade dessa alma em CRISTO JESUS.
Antes de mostrar um grande exemplo bíblico do poder da oração, lembro-me que, recentemente, estava assistindo ao DVD do irmão Lázaro, intitulado “Sentimento Novo”, em São Paulo, na residência do irmão Flávio Abbenante. Uma das canções nos comoveu bastante. Trata-se do louvor “Mesmo Assim Te louvarei”, onde Lázaro divide a adoração com o deficiente, irmão Jônathas. Em dado momento da canção, Jônathas agradece a sua mãe por nunca ter desistido dele, apesar da deficiência que possuía. E lembra que, pelas mãos de outra mãe, poderia ter sido arremessado de um prédio, jogado em algum depósito de lixo, abandonado em alguma praça, ou mesmo sido abortado. Quantas mães optam por um desses caminhos todos os dias? Quantas vidas mortas entregam outras vidas à morte? Muitas opções, muitos motivos, a mãe de Jônathas certamente dispunha para fazer algo triste em relação a um filho que, aos olhos humanos, poderia não ter valor algum. Mas o amor dela foi maior que as adversidades. Assim, ela decidiu acreditar, decidiu investir, orar, dizer a DEUS que a vida do seu filho poderia ter um destino maravilhoso, glorioso. Porque uma vida não desistiu dele, Jônathas estava ali naquele DVD, mesmo com muita dificuldade, louvando e adorando o Santo Nome do SENHOR. A mãe daquele garoto é o testemunho de que não devemos nunca deixar de orar pela vida de quem o mundo acredita não ter mais solução, ainda que as circunstâncias pareçam muito difíceis ou até mesmo impossíveis aos nossos olhos. A ORAÇÃO DE UM JUSTO APENAS É PODEROSA E EFICAZ.
A Bíblia nos apresenta relatos interessantes de pessoas que oraram, que não desistiram da vida de outras, por isso, fizeram toda a diferença no mundo espiritual. O exemplo que escolhi para relatar nesse estudo envolve a família do patriarca Abrão. Quando DEUS decide encaminhar Abrão para uma terra de promessas, Ló, seu sobrinho, foi um dos que lhe seguiram. Por conta das riquezas que um e outro possuíam, em determinado momento, tiveram que se separar e seguir cada um por um caminho contrário. “Habitou Abrão na terra de Canaã e Ló habitou nas cidades da campina, e armou as suas tendas até Sodoma” (Gênesis 13:12). Ló então escolhe por residir, segundo os seus olhos de cobiça, em Sodoma. A escolha foi a mais infeliz que um homem poderia tomar: “Ora, eram maus os homens de Sodoma, e grandes pecadores contra o Senhor” (Gênesis 13:13). Toda e qualquer separação representa um perigo para uma das partes, pois separar-se significa sair do estado, da condição, que DEUS os colocou. Paulo, em uma das cartas, escreveu: “E assim cada um ande como Deus lhe repartiu, cada um como o Senhor o chamou. É o que ordeno em todas as igrejas. (…) Irmãos, cada um fique diante de Deus no estado em que foi chamado” (1 Coríntios 7:17 e 24). Quem opta por permanecer em uma situação diferente daquela que DEUS uniu e abençoou, está fora da comunhão com DEUS e, consequentemente, com a vida em risco. A vida e a família de Ló passaram a sofrer as consequências da infeliz decisão dele. Quatro nações se levantaram em guerra contra Sodoma com a finalidade de sitiá-la e roubar todas as suas riquezas. Foram elas: Sinar, Elasar, Elão e Goim. O resultado da guerra foi esse: “E o vale de Sidim estava cheio de poços de betume; e fugiram os reis de Sodoma e de Gomorra, e caíram ali, e os restantes fugiram para um monte. E tomaram todos os bens de Sodoma e de Gomorra, e todo o seu mantimento e foram-se” (Gênesis 14:10-11). Está aqui o resultado de quem se rebela contra DEUS, de quem sai da posição que o SENHOR determinou. Tem a vida assolada, a paz saqueada pelos inimigos, os bens roubados e o fim mais triste possível. Nessa hora, com muita piedade do seu sobrinho e do seu irmão, pai de Ló, Abrão “(…) armou os seus criados, nascidos em sua casa, trezentos e dezoito, e os perseguiu até Dã. E dividiu-se contra eles de noite, ele e os seus criados, e os feriu, e os perseguiu até Hobá, que fica à esquerda de Damasco. E tornou a trazer todos os seus bens, e tornou também a trazer a Ló, seu irmão, e os seus bens, e também as mulheres e o povo” (Gênesis 14:14-16).
Abrão, apesar da péssima escolha do seu sobrinho, não desistiu da vida dele nem de toda a família. Revestiu-se das armas de batalha e conseguiu reverter a situação que era desfavorável. O apóstolo Paulo nos ensina com quais armas devemos guerrear contra os nossos inimigos invisíveis que se levantam contra nós e contra a nossa família: “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estais, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; e calçados os pés na preparação do evangelho da paz; tomando, sobretudo, o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomais também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus. Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos” (Efésios 6:11-18) (grifo meu). Muitas vezes nos encontramos em meio a uma grande batalha e desejamos vencê-la com nossos próprios recursos humanos. Isso é um erro. Precisamos estar revestidos, sim, de armas espirituais (fé, oração, jejum, perseverança, Espírito Santo, Palavra de Deus), para nunca desistirmos do outro; orando sem cessar, andando em santidade, para que possamos obter a vitória, a restituição daquilo que nos foi roubado pelo inimigo.
Por ter lutado corretamente, Abrão teve vitória. E o sacerdote, Melquisedeque, do Senhor o abençoou, dizendo: “Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra. E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo” (Gênesis 14:19-20). Abrão então é honrado por DEUS, que lhe estabelece uma aliança fiel, e passa a ser chamado de Abraão, que significa Pai de muitas nações. Mas Ló, seu sobrinho, mesmo tendo enfrentado grande guerra, preferiu continuar em Sodoma, no meio de um povo que cometia coisas abomináveis ao SENHOR DEUS. Os pecados, as perversões sexuais, o homossexualismo, o adultério, a fornicação, tudo chegou diante de DEUS, que decidiu destruir toda a cidade. Sabendo disso, Abraão não teve outro recurso, senão orar a DEUS pela vida de Ló e de toda a família. Abraão era um incansável combatente pela vida de um homem que definitivamente não queria agradar a DEUS. Abraão chega a tentar convencer DEUS de que Este deveria salvar a vida dos seus familiares da destruição de Sodoma. E fez isso em oração. Convido o amado leitor a ler a oração intercessória de Abraão a DEUS por toda a sua família, que está transcrita em Gênesis 18:23-33. Não deixe de ler.
Porém, DEUS havia decidido destruir as cidades de Sodoma e Gomorra, porque os seus pecados atingiram a paciência do SENHOR na prática de coisas terríveis. DEUS deu várias oportunidades para toda aquela população se converter, mas ela preferiu não dar ouvidos à voz do SENHOR. Entretanto, uma família apenas haveria de ser salva. Uma família salva porque um justo, com o qual DEUS havia constituído uma aliança de fidelidade, não cessou de orar por ela. A ORAÇÃO DE UM JUSTO É PODEROSA E EFICAZ.
DEUS então envia anjos para preparar a fuga de Ló e de toda a família da destruição das cidades, que seria destruída com muito fogo e enxofre. E eles deram uma ordem a todos os familiares de Ló: “(…) Escapa-te por tua vida; não olhes para trás de ti, e não pares em toda a campina; escapa lá para o monte, para que não pereças” (Gênesis 19:17) (grifo meu). Quando DEUS nos dá uma oportunidade de vivermos, de recomeçarmos, ELE também nos diz: “NÃO OLHEM MAIS PARA TRÁS”. Ou seja, o passado ficou para trás, os pecados foram perdoados. É hora de recomeçarmos uma nova história com a mesma família que DEUS uniu e abençoou. Quantos, infelizmente, depois de terem a família restaurada e salva por DEUS, insistem em ressuscitar as coisas velhas, passadas e desgastadas? Por isso, muitos casamentos se tornam estátuas de sal, como ocorreu com a mulher de Ló, que desobedeceu a ordem do anjo, olhando para trás.
Com exceção dessa mulher, toda a família de Ló foi salva da destruição. E a Bíblia apresenta a razão: “E aconteceu que, destruindo Deus as cidades da campina, lembrou-se Deus de Abraão, e tirou a Ló do meio da destruição, derrubando aquelas cidades em que Ló habitara” (Gênesis 19:29) (grifo meu). DEUS se lembrou da súplica do justo, PORQUE A ORAÇÃO DE UM JUSTO APENAS É PODEROSA E EFICAZ.
Para encerrar, gostaria de contar aqui um testemunho pessoal. Durante mais de dois anos, fui o pior marido que poderia existir nesse mundo. Adulterei contra DEUS e contra a minha maravilhosa esposa. Fui o pior filho para DEUS, fiz coisas terríveis e desagradáveis. Fui humilhado, envergonhado, jogado na sarjeta do pecado e da podridão. Fui escarnecido pelas mãos de ímpios e tratado como algo insignificante, irreparável, sem conserto algum. Também fui abandonado pela minha esposa amada, pela igreja, irmãos e pastores. Todos se afastaram de mim, como se, em mim, houvesse uma doença contagiosa e incurável. Andei pelo vale da sombra da morte, tive depressão, tentei me matar algumas vezes. Vivi em profunda solidão. Mas DEUS nunca desistiu de mim. ELE me amou de maneira tal que não cabe nas palavras de um texto como esse. DEUS me amou profundamente. E ELE me ama. E hoje entendo perfeitamente porque não morri. Porque no meio de tantas e infinitas pessoas que me cercavam, uma, em especial, me amou verdadeiramente, no AMOR DE JESUS POR NÓS. Uma vida apenas não desistiu da minha vida e esteve ao meu lado nos momentos mais difíceis que passei. Essa pessoa, esse presente de DEUS, chama-se ANDRÉA DUARTE, de Cabo Frio, Rio de Janeiro. Quando todos me deram às costas, ANDRÉA ME AMOU VERDADEIRAMENTE. Ela viu em mim uma chama de esperança, uma luz de CRISTO. Por isso, pagou o preço pela minha vida em constantes orações.
Se hoje estou aqui com a minha vida totalmente restaurada, dou graças a DEUS e a Andréa, que nunca desistiu da minha vida, provando o quanto o Amor de CRISTO está verdadeiramente em seu coração. Casado como sempre com Sandra e cada vez mais apaixonado por ela. Porque eu a amo em um amor que é mais forte que a morte, que nem divórcio, nem tempo algum conseguiram nem conseguirão apagar. Hoje estou aqui e não morri porque um justo orou por mim. Na hora em que DEUS intentou destruir tudo ao meu redor, tenho certeza de que ELE se lembrou também das súplicas de Andréa pela minha vida. Obrigado, Déa, por não ter desistido de mim. Que DEUS a recompense com grande galardão aqui na terra. Com você tive mais absoluta certeza do quanto A ORAÇÃO DE UM JUSTO É PODEROSA E EFICAZ. Que DEUS nos abençoe!
FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é Pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.